[email protected]ância com Francisco Lufinha – Do recorde mundial de Kitesurf à preservação dos oceanos

A fim de dar continuidade ao projeto etwinning “The SEA we want to see”, o Clube de Teatro e o Eco Clube, em colaboração com a professora Rosa Macieira da Escola E.B. 2,3 Frei João (segunda fundadora do projeto) e alunos participaram num encontro virtual com Francisco Lufinha, recordista mundial de Kitesurf de longa
distância sem parar, no dia 18 de março.

O desportista náutico português falou-nos dos vários desafios arrojados vividos no mar e da preocupação com a preservação dos oceanos. Em 2015 bateu o recorde mundial de maior viagem de Kitesurf sem paragens, tendo superado a anterior marca de 584 quilómetros. Navegou 48 horas em alto mar entre
Lisboa e a ilha da Madeira, tendo à noite apenas “a lua como candeeiro”. Uma equipa acompanhou o desportista,em ambos os desafios. Durante o percurso, Francisco Lufinha encontrou lixo, plástico e animais mortos no mar. Em águas mais profundas, cruzou-se com baleias, golfinhos, tartarugas e peixes voadores que voam cerca de 30 segundos por cima do mar.

Terminou, referindo 4 razões para preservar os mares: a temperatura do planeta é regulada pelo mar; o mar tem a função essencial de nos manter vivos; faz parte do ciclo da água; o verdadeiro pulmão do planeta são os oceanos. As algas marinhas produzem oxigénio em excesso, que é liberado na água, vai para a atmosfera e fica disponível para outros seres vivos. Nesse processo, as algas marinhas são responsáveis pela produção de 54% do oxigénio do mundo. São capazes de produzir mais oxigénio que as árvores.

This slideshow requires JavaScript.